ETA, que Bubba / Açaí / EQM | ETA, que teta!

10 de agosto de 2009

ETA, que Bubba / Açaí / EQM

Quando eu vou começar um post, sempre penso num título, com o nome do que centralizou a aventura, mas desta vez vou relatar uma bad trip muito louca que passei, rs. É, vai ser longa, então se não quer ler, comenta 'nemli' lá embaixo, bjs. Ah, mais uma coisa antes de iniciar: esse post não vem criar uma visão homofóbica, só uma visão não-promiscua. Então, vamos começar os trabalhos...
Depois de tanto a Lolly insistir, chorar e me chantagear, ela conseguiu me convencer a ir na tal balada pseudo-cool 'bubba', ok, eu já estava meio com vontade de ir (secret), só que eu não ia sozinho com um monte de meninas, tipo, se elas falassem que iam no banheiro e sumissem? Erm, eu sempre desconfiei disso, não confiem, UASHASUH. E por isso chamei o Julian, que logo ele chamou o Rodolfo, um amigo zl dele, rs. BRIMKS, ele é muito gente boa. E então lá vamos todos nós no metrô... lolly, nath-cool, ju-normal, a janinha *-*, yo, o Julian e o Rodolfo. Tá que o Julian não parava de cantar 'não é facil, manter a franja lisinha, tenho que fazer escova e chapinha...' ¬ Saimos no Anhangabaú, quando me falaram que era perto do metrô já imaginei uma coisa um tanto, estranha, vamos dizer rs. A menina-lô disse que sabia perfeitamente aonde era, se convencendo a subir a rua, entrar nuns becos, cruzar com uns vendedores de crack, até chegarmos... à lugar nenhum, estávamos perdidos. Eu falei pra ela perguntar ao simpático velhinho aonde ficava a tal balada e fui repreendido por um 'esse velho é muito alternativo, não?', uai, O VELHO NÃO PODE SABER AONDE FICA A RUA? rs. Ela perguntou a ele, e nós rimos de verdade porque o senhor mostrava as ruas na mão dele e do nada vimos ele apontando pro céu, será que a bubba fica no céu? Não mesmo -q Ele tanto falou, mas não ajudou em nada, não sabíamos chegar ainda, a rua em que ela tinha anotado era só 'rua carvalho', CÉUS! Quantas ruas 'carvalho' existem por ae? Mas até que enfim fomos seguindo o fluxo de pessoas 'alternativas', e com a ajuda do jornaleiro encontramos um beco chamado 'Álvaro de Carvalho'. Sim, era um nome composto o nome da rua! rs. Passamos por baixo de um monte de viadutos, pontes e tal, até avistarmos no longe uma massa negra. Eu falei: 'puta merda, quanta mina!'.
Foi então que eu senti na pele o que é ser o Ronaldo, aquelas 'minas' que eu tinha visto na verdade eram 'minos', PELÉS, propriamente ditos, rs. Eu falei: 'não entro ai nem fudendo', a Lolly tinha me dito que não era uma balada gay, eu acredito nela, porque ela ficou meio surpresa quando viu aquela parada gay fora de época, rs. Não sou preconceituoso (tá, só um pouco), mas não gosto de promiscuidade, de jeito algum estou falando que todos homossexuais são promiscuos, mas aqueles que lá se encontravam eram por demais! Eu decidi que ia embora quando eu vi um encoxar o outro LEGAL, eu fiquei pasmo (sim, eu ainda não tinha visto essas coisas), não consegui pensar nas coelhinhas (seminuas/nuas) vendo aquele tanto de gente estranha, já estava imaginando que quem ficava olhando o poli dance era as garotas! E então eu achei mais prudente eu sair, ou melhor, nem entrar. Já que eu não pactuo com bailes funks com putas feias, musica ruim, e promiscuidade, não iria pactuar a uma balada emo com muitos gays, musica emo, e promiscuidade, sinceramente (esperando a polícia bater na minha porta, rs). Então foi eu, o Julian e o Rodolfo embora, eles não conseguiam falar nada, estavam brancos de medo, rs. Se eu estava pasmo com tudo aquilo, imaginem eles! E então eu fui andando, abaixando a cabeça, tirando meu cabelo (que eu achei super alternativo aquele dia), devolvendo o óculos cool da lolly e ir andando pro metrô sem ser xavecado, coisa que é impossível. Dito e feito: na esquina eu ouço uns gritos: 'ô viado, viadinho', eu pensei: 'vsf suas bichas loucas!', rs. Até eu sentir alguém me puxar, era o andrey e o xexé. Eles estavam realmente cools, erm, se isso significa rebelde sem causa eles estavam por demais *-*, brinks caras. Eles até tentaram ver se eu não ia ficar, que ia ser legal, mas ficava imaginando aquela encoxada nojenta que eu comentei logo atrás, rs. Aê descemos a rua.
E o metrô era na esquina da rua, risosmil. Demos muitas voltas e o metrô era do lado da balada, rs. Então ficamos sem rumo, era quase 5hs, iriamos perder o dia, mas então pensamos: vamos lá num barzinho da engenheiro, eu estava com dinheiro, cai pra dentro. Tivemos que enfrentar o rotineiro trânsito de Santana às 6 da tarde, e então pegamos ônibus. Duas indivíduas (muito feias, aliás), se sentaram no banco preferencial, mas como não tinha nenhuma pessoa que se mereça preferência, fiquei de boa. Até que no meio do caminho sobe um velhinho no ônibus, mas era realmente bem velhinho, lá pela casa dos 70 anos. Ele precisava do lugar. Fitou as baianinhas e suplicou com o olhar a vontade de sentar na cadeira, e elas? Nada, as fdps não fizeram absolutamente nada. Ele então foi (mancando) pro fim do ônibus, aonde OUTRA velhinha cedeu lugar à ele. Eu fiquei indignado, mas não falaria nada porque não quero apanhar num busão lotado, rs. Esperei chegar no meu ponto, e então cutuquei as mocinhas e disse: 'Moça, essas duas são cadeiras preferenciais, caso a senhora já tenha lido, quando tiver idosos, tem que ceder o lugar, boa noite', e desci do ônibus (tá que não foi tão bonito assim, só sei que foi assim rs). Foi tão prazeiroso ver a cara de 'sou cocota' delas mostrando o dedo do meio pela janela *-*
A gente chegou lá na Engenheiro, num barzinho que vende açaí, pensamos em comprar cerveja, mas é muito ruim, fact. Então encontrei a bebida mais gostosa e barata: batida. Pedimos tal, sentamos numa mesa na calçada, com uma construção atrás -q A bebida veio, PELO AMOR DE DEUS, nunca vi algo tão forte na minha vida! Eu acho que era aquelas batidas prontas e concentradas, ae fez ela ficar assim, rs. Só sei que consegui tomar meu copo e ainda sair acordado de lá, porque eu fico com muito sono quando eu bebo, rs. Mas minha noite só estava começando.
Fui pra casa, com medo de estar alteirado, nada demais, normal. Descobri que ia dormir com meu pai, legal -q
Ele pegou eu e meu irmão, fomos pra casa da pseudo-namorada-atual dele, e depois fomos pro Habiba. Lá eu dei muita risada, uma porque quando chegamos uma mesa já gritava: 'QUEREMOS COMER, QUEREMOS COMER', o atendimento ali já não seria dos melhores, percebi. O homem anotou os pedidos tal, ok. Demorou muito pra chegar a comida, mas chegou certa, pelo menos. Depois quando eu estava comendo, jurei que estava no episódio do restaurante da Dona Florinda, porque o garçom caiu com todos os sucos, fazendo maior sujeira e logo depois o outro garçom também escorregou, aumentando o monte de sujeira! Eu me rachei de rir, mas ai acho que foi ai que meu carma aconteceu (ou a macumba do cara): no carro, de volta pra casa, deitei no carro (já era 2hs da manhã), e tipo, do nada, minha garganta simplesmente fechou e não conseguia passar mais nada de ar, eu fiquei desesperado, nunca tivera sem ar! Pedi pro meu pai parar o carro, comprar uma água, eu não conseguia nem assoprar! Não sei como, aquilo foi passando e fiquei mais ou menos bem. Mas no caminho, meu pesadelo só estava começando: comecei a ter indícios que estava tendo uma EQM, uma experiência quase morte, rs. Eu via saindo das árvores figuras mitológicas, tipo anjos, cavalos sem cabeça, até a morte eu vi. E então, acho que como estava na bad trip muito louca da batida + habib's, comecei a tramar uma história de como é estar morrendo, eu vi dois leões me saudando, os soldados falando que a segurança havia sido rompida, trabalhadores ajudando no progresso da civilização, e tudo isso com figuras que eu vi mesmo na rua, como duas estátuas de leão, dois vigias noturnos, operários...
Quando eu cheguei em casa comecei a tremer demais, não estava tão frio, eu tinha muito calafrio, nunca tinha tido uma coisa como essa! Eu pensei então, nessa parte da minha história, que deus e o diabo estavam travando uma batalha dentro da minha cabeça! UAUSHASUHASU, não gente, eu não fumei nada nessa noite, rs. Pois então eu apaguei e acordei sem camisa no dia seguinte, não lembrava o que havia acontecido na minha história, quem foi o vencedor, nem o perdedor. Acho que isso foi um surto de inspiração (ou de insanidade total, rs), mas eu sei que vou tentar passar pro papel isso, rs.
Esse post ficou mostruosamente grande, mas eu aposto que tem muitas coisas ainda que não comentei e vocês nem mereçam ouvir, rs. Repetindo: não foi homofóbico isso, foi anti-promiscuo. Eu até iria, se não fosse tão 'sem-vergonha', como estava rs. Agora sou uma criança traumatizada, uhules! Na próxima vez vou no clube loft, rs. OU MELHOR: no U.QUE CLUB, funk 100% cool -n, se na american pie não tiver tantos elementos estranhos eu vou, rs. Adeus.

ps: Sexta estréia Brüno, bora? *-*

13 comentários:

Julia Odri disse...

HOEUIAHEOIUEHAOUEHA' eu ri muito !

Bruna disse...

AEOHAOIEHAOIHE você é doido :O

Eu, eu mesma e Irene disse...

HASUHAHUSAHUHSUA/ gibs!
SÓO VOCÊ
. AHHHHH ESTÁ ME DEVENDO 10,00
BJSSSSSS

Moe disse...

Véi... se tomo uns benflogim que eu to ligado

paty_chock disse...

colocaram algo bem louco na sua batida, certamente;

Silvana disse...

Gi, vc é doidinho de pedra... hahahaha
Muito bom o texto, e vc viajou mesmo, hein?
Que é que tinha naquela batida??? Fala pra eu nunca tomar!
beijos

Gui disse...

HUAHSAUHAHUASHU ridemais
não sabia de todos os detalhes rs

Victoria disse...

hasoihsaohsaoihsa, vc não bate nem um pouco bem!

Carol montes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
L. disse...

hey rs

The Branks disse...

sauhasasuhasuhasuhasuahsa

Ai muleque, se beber, e escrever, seu pai vai saber, e não vai gostar...

Se ele soubesse que vc tinha tomado umas "CANGIBRINHAS" tinha feito vc primeiro vomitar, depois dado um Floratil, pra "forrar a flora intestinal" e poder finalmente receber alimento, mesmo que do Habib´s.

Antes disso tudo, seu pai teria feito vc e seus amigos VOMITAREM O NOME DO BAR DA ENGENHEIRO que serviu bebida alcoólica a MENORES. E baixado lá de viatuuuuuuuuuuuuuuuuuuurrrrrrraaaaa.

Mas, o principal, não teria seu pai perdido pelo menos umas 3 horas de sono, preocupado com sua saúde.

Mas a história tá linda, e muito bem elaborada. Faltou vc falar, que SE NÃO ME ENGANO, O VELHACO (conhecido por PAPAI) AVISOU QUE ERA UMA BALADA GAY.

Adoro sua pessoa.

PS.: Pseudo namorada (o) é o escambau!!!! AS PESSOAS TEM NOME!!!! ashaussuhashuahuasuhas

Giovanni disse...

Pai, ok. Vamos vomitar o nome do negócio e ganhar muita grana! UASHASUH mas nunca mais bebo na rua, credo. Nunca passei tão mal, rs.

E uma regra do EQT é não divulgar nomes alheios, ou adicionando sigla ou apelido. Pseudo-namorada usamos pra todas 'minas' possíveis peguetes, sacou bicho? Rs.

Anônimo disse...

[url=http://najgraj.pl]Gry[/url]

[url=http://najgraj.pl]http://najgraj.pl/de/tagi,panny
http://najgraj.pl/sk/tagi,Caravan
http://najgraj.pl/opis,gry,2720,16,0.html
[/url]